Saúde Oral

O sorriso é fundamental em nossa vida, faz bem à saúde e está presente em muitos momentos, merecendo uma atenção especial. É muito comum desejar um sorriso bonito e harmonioso, que cause uma impressão agradável a todos em sua volta.

Considerado como um cartão de visitas, sorrir esbanjando saúde e bem-estar é o segredo para um sorriso vibrante e para a funcionalidade plena da boca. Motivos não faltam para abrirmos um sorriso, mas para isso temos que mudar hábitos e atitudes de forma preventiva para conquistar o equilíbrio e a longevidade da saúde oral.

Neste programa você saberá como fazer para que o seu sorriso dure a vida toda.

Programa de Prevenção da Saúde Oral

  • Primeira Consulta Open or Close

    A importância da Primeira Consulta na elaboração do Diagnóstico e Plano de Tratamento

    Para um tratamento odontológico de qualidade, é fundamental uma primeira consulta, a qual faremos um inventário completo da saúde geral e oral do paciente. Este inventário reúne avaliação clínica que consiste em:

    • Anamnese - levantamento médico para saber sobre o estado de saúde geral do paciente.
    • Exame Clínico - levantamento da saúde oral do paciente.

    Nesta etapa é feita a solicitação dos exames complementares: Modelos de Estudos, Radiografias, Tomografias, Fotografias e outros exames quando necessário. Com o inventário completo é possível iniciar um tratamento odontológico com segurança. Os exames complementares são essenciais no exercício da odontologia, por permitirem a visualização de estruturas ósseas e dentárias bem como suas alterações. São necessárias para o diagnóstico e elaboração do plano de tratamento.

    Após a primeira consulta e com os exames em mãos faremos uma análise global do paciente seguindo o protocolo individualizado para elaborar o diagnóstico e o plano de tratamento dentro do conceito de Odontologia Funcional Estética e Reablitadora. Neste processo analisamos o paciente como um todo, para desenvolver o projeto de transformação do sorriso.

    Com o diagnóstico e plano de tratamento finalizado é marcado o retorno para a apresentação do mesmo, sempre levando em conta as necessidades individuais do paciente.

  • Higiene Oral: Prevenção e Terapia de Controle Open or Close
    higiene oral

    Prevenção

    A Odontologia praticada em nossa clínica, segue uma nova tendência mundial, que trata de forma preventiva todos os pacientes. Nosso projeto de Prevenção é amplo e aborda vários fatores que contribuem para evitar a cárie, doença periodontal (doença gengival) e hábitos prejudiciais à saúde oral.

    Inicialmente é feito um inventário de saúde do paciente (questionário médico-odontológico). Nessa consulta denominada Anamnese, obtemos toda história médica do paciente e informações sobre possíveis problemas de saúde como: diabetes, hipertensão, problemas cardíacos etc. A partir desse procedimento, pode-se iniciar o tratamento sem riscos ou surpresas desagradáveis.

    Desde o início o paciente é conscientizado da importância da prevenção. Nessa etapa, são utilizados materiais didáticos e informativos que auxiliam na motivação e condicionamento do paciente. Para remoção eficaz da placa bacteriana ou Biofilme são efetuados procedimentos como:

    • Técnicas de escovação, uso do fio dental e escovas auxiliares.
    • Profilaxia: remoção da placa bacteriana e cálculos (tártaros- Placa bacteriana calcificada)
    • Aplicação de flúor: Proteção adicional ao dente
    • Controle de infecção oral

    Terapia de Controle

    Na verdade, a Terapia de Controle é sinônimo de Prevenção e tem como objetivo manter a higiene bucal, a saúde das estruturas de suporte que revestem os dentes e a funcionalidade plena da boca.
    O projeto da terapia é realizado de forma sistemática a cada 3 ou 6 meses. O paciente é instruído e condicionado a um rigoroso controle da placa bacteriana (escovação e uso do fio dental), evitando novos processos de cárie e infecção garantindo o sucesso prolongado dos tratamentos.

    A saúde oral é essencial e ajuda na prevenção de doenças graves como: endocardite bacteriana (infecção cardíaca), infecções renais, pulmonares e tantas outras patologias que utilizam a gengiva doente como porta de entrada no organismo.
    Principais atitudes para uma boca saudável e um sorriso cativante:

    • Escove seus dentes pelo menos 3 vezes ao dia, com creme dental com flúor, principalmente após as refeições e use o fio dental todos os dias.
    • Mantenha uma alimentação saudável e equilibrada alimentando-se de 3 em 3 horas e evitar a ingestão excessiva de alimentos rico em açúcares, pois esses alimentos podem ser convertidos em ácidos que enfraquecem a estruturas dental e causam cáries.
    • Visite seu dentista regularmente (a cada 3 ou 6meses) e lembre-se de perguntar sobre métodos preventivos de problemas bucais.

    Os hábitos para toda vida começam com educação e disciplina e devemos incluir os bons hábitos de saúde em nossa rotina diária.

  • Halitose Open or Close

    Mais conhecido por mau hálito, a halitose é muito comum na população. As causas são diversas, mas sabe-se que 80 a 90% dos casos têm origem bucal. Abrange mais de 40% da população até 40 anos e nas populações acima de 55 anos, chega a 85%.

    Atualmente cada vez mais nos preocupamos com a aparência e a qualidade de vida. Mas não existe saúde perfeita sem ter também uma boa saúde oral. O mau hálito constante é uma das principais causas de um relacionamento ruim, seja no trabalho e na vida afetiva.

    Causas de Origem Bucal

    As bactérias presentes na boca são capazes de produzir compostos com odor desagradável. Se a higiene oral for feita de forma incorreta, essas bactérias se proliferam descontroladamente e produzem grandes quantidades desses compostos gerando o mau hálito.

    A língua também merece destaque, pois quando não a higienizamos corretamente ocorre o acúmulo de resíduos e células mortas, resultando em uma placa branca – amarelada no dorso da língua, conhecido também como saburra lingual- um meio ideal para proliferaçào de bactérias capazes de produzir compostos que levam ao mau hálito.

    As doenças da gengiva- gengivite e periodontite, também são associadas à higiene oral deficiente, e portanto geram mau hálito. Visitas regulares ao dentista, hábitos saudáveis e higienização oral adequada podem ser grandes aliados na prevenção da halitose.

    Causas de origem nas Vias Aéreas

    As amígdalas por ter um superficie com reentrâncias, favorecem o acúmulo de cáseos amigdalianos, que são acúmulos de restos mal cheirosos que podem ser expelidos durante a fala, tosse ou espirros.

    Outras Causas

    Existem outras origens da halitose como diabetes, problemas no pulmão, intestino ou rins, fumo, deficiência de vitamina A e D e pouca produção de saliva. Alguns medicamentos para depressão, emagrecimento e pressão Alta, podem levar a alterações na saliva que levam ao apareciemento de halitose.

    Como se Diagnostica?

    O diagnóstico hoje é feito por meio de um aparelho chamado Oralcroma que detecta os vários tipos de odores que são presentes no hálito, separando-os e determinando suas concentrações. Com isso, é possível, Diagnosticar a presença ou não da halitose, bem como sua origem.

    Seu dentista esta habilitado a tratar os problemas da halitose, que pode ser curadas por meio de orientações e programas preventivos de saúde oral.

    Halitose tem tratamento!

    Aqui vão algumas dicas:

    • Beber água - 2 litros de água por dia para manter a boca sempre úmida!
    • Evitar passar muitas horas sem alimentar-se pois o jejum prolongado favorece o aparecimento da halitose.
    • Caprichar na higiene bucal. Ao escovar os dentes usar também o fio dental, e o enxaguante bucal, que pode ser utilizado para complementar. A escovação da língua é crucial para o controle da halitose, portanto SEMPRE deve ser lembrada!
    • O uso de enxaguantes deve ser restrito. Faça a escolha de enxaguantes sem álcool. Siga as orientações do seu dentista.
    • Certificar se os níveis de glicemia estão dentro da normalidade e se o funcionamento do estômago, rins e intestinos não apresentam nenhuma alteração. Consulte um médico para avaliação da sua saúde!
    • Utilizar, de vez em quando, goma de mascar ou balas sem açúcar, que ajudam a aumentar a salivação.
    • Fique atento e procure um Cirurgião Dentista, nós podemos ajudar!
  • Cancer de Boca Open or Close
    Câncer de Boca

    O que pode contribuir para a pessoa ter câncer de boca?

    O que é câncer de boca?

    São tumores malignos que acometem a boca e parte da garganta. Pode-se desenvolver nos lábios, assoalho da boca, língua, céu da boca, gengiva, fundo da garganta e glândulas salivares.

    O câncer bucal é uma doença comum?

    O câncer bucal está entre os dez tipos mais comuns de canceres apresentando a maior taxa de mortalidade dentre os tumores malignos da região da cabeça e pescoço.

    O quê observar no auto-exame?

    • Feridas que não cicatrizam em duas semanas podendo ser superficiais, com menos de 2cm de tamanho, indolores (com sangramento ou não);
    • Manchas esbranquiçadas ou avermelhadas nos lábios ou na mucosa bucal;
    • Mau hálito, dificuldade em falar, mastigar e engolir;
    • Caroço no pescoço;

    AUTO-EXAME

    De frente para o espelho, observe a pele do rosto e do pescoço. Veja se encontra algumas alterações que não tenha notado antes. Recomenda-se que o Auto-exame seja feito no mínimo 1 vez por mês.

  • Os cuidados com a Saúde Oral na gravidez Open or Close
    Quando o assunto é saúde oral, engana-se quem pensa que a necessidade de cuidados especiais só chega junto com os primeiros dentes. Cuidados com higiene e alimentação se tornam presentes na rotina diária de mães desde a gestação.

    — O que algumas pessoas ainda não sabem é que antes do surgimento dos primeiros dentes na cavidade bucal do bebê, existem medidas de prevenção que precisam ser seguidas. As gestantes não devem dispensar o acompanhamento odontológico durante a gravidez, pois é importante lembrar que algumas infecções bucais recorrentes na mãe podem ocasionar complicações obstétricas.

    Além de evitar complicações, o acompanhamento odontológico nesta fase ajuda as futuras mamães, a esclarecer dúvidas a respeito da própria saúde e da saúde bucal do bebê. O primeiro passo são hábitos e alimentação saudáveis e cuidados com a higiene bucal de toda família.

    — Outro fator importante é o aleitamento materno, fundamental para o crescimento e desenvolvimento do bebê. Após o nascimento e com o surgimento dos primeiros dentes, por volta dos 6 meses, as mães também precisam ficar atentas a higienização após as mamadas e refeições. Esse cuidado é essencial para saúde oral da criança. O primeiro contato da criança com o odontopediatra deve ocorrer logo nos primeiros meses de vida e, a partir daí, o ideal é criar o hábito de consultas regulares para afastar um problema bastante comum na infância: o medo do dentista.

    — Muitas crianças sofrem com um medo de origem irracional. O acompanhamento desde os primeiros meses ajuda a driblar isso. O odontopediatra deve conduzir o tratamento de forma a diminuir as angústias presentes e estabelecer um vínculo de confiança entre ele e o paciente.

    Para os pais, a dica é tentar tranquilizar as crianças evitando a associação entre a ida ao profissional da saúde com castigos e ameaças. Para isso é necessário uma conversa transparente sobre a importância e a necessidade da saúde para o bem estar da criança.

    Dr Luciano Burrini

Odontologia em foco

  • Odontologia Estética: A arquitetura do Sorriso Open or Close
    odontologia estetica

    Odontologia Estética: A arquitetura do Sorriso

    É muito comum desejar um sorriso bonito e harmonioso, que cause uma impressão agradável a todos em sua volta. Considerado como um cartão de visitas, sorrir esbanjando saúde e bem-estar é o segredo da odontologia minimamente invasiva, onde o profissional é em parte técnico e em parte artista, por isso cada caso é um trabalho de arte que cria a beleza, ajudando a construir um sorriso personalizado, integrado com a face e a personalidade de cada cliente.

    Os avanços nas formulações dos materiais restauradores e tecnologias adesivas aumentaram as possibilidades de tratamento e fornecem soluções mais simples e conservadoras para muitos desafios estéticos e restauradores. Abordagens multidisciplinares minimamente invasivas proporcionam um mínimo de trauma aos tecidos dentais e periodontais, otimização estética e restabelecimento do sorriso.

    Dependendo da necessidade particular de cada um, os tratamentos podem mudar significativamente a aparência dos dentes. É possível criar uma harmonia estética entre dentes e gengivas, repor dentes ausentes, através de implantes, clarear os dentes, substituir tratamentos antigos antiestéticos e realizar restaurações dentárias imperceptíveis. Podemos também reposicionar dentes mal alinhados e ainda mudar a forma e a cor dos dentes.

    Veja alguns dos procedimentos da odontologia estética: Os mais procurados são o Clareamento Dental a Laser, as Restaurações em Porcelana e as Facetas.

    O clareamento é uma solução não invasiva que branqueia a superfície dental e é um método excelente para obter um sorriso mais harmônico.

    Já as restaurações em porcelana ou cerômero, conhecida como restauração branca são muito utilizadas para trocar restaurações antigas ou restaurar cavidades de cárie. A tecnologia disponível hoje nos permite ter uma a gama de cores que reproduzem os dentes com perfeição, tornando a restauração imperceptível.

    As facetas ou laminados de porcelana são pequenas capas coladas na face externa de um ou múltiplos dentes naturais que tem algum comprometimento estético de cor ou forma, restaurando assim a beleza do sorriso. Entre as vantagens das facetas é a possibilidade de recriar a cor e a forma dos dentes para construir um sorriso mais estético, de forma rápida, segura e durável com um mínimo de desgaste da superfície dental.

    A odontologia estética minimamente invasiva visa restabelecer ou corrigir a forma, posicionamento e o equilíbrio estético e funcional dos dentes. Um sorriso natural e vibrante, em harmonia com os lábios e o contorno da face caracteriza beleza, harmonia, saúde e jovialidade.

    Dr. Luciano Burrini

  • Odontogeriatria: A Importância do acompanhamento preventivo do idoso para o envelhecimento saudável Open or Close
    odonto geriatria

    Odontogeriatria: A Importância do acompanhamento preventivo do idoso para o envelhecimento saudável

    A Odontogeriatria emerge da necessidade preventiva e terapeutica para cuidados com a saúde oral de idosos; a primeira decorrente da longevidade populacional, mais anos de vida necessitam de mais prevenção para o envelhecimento saudável. A segunda, terapeutica, refere-se ao tratamento odontológico para os envelhecentes que na população idosa brasileira está mais voltada para o controle periodontal (placa bacteriana) e a reabilitação oral (colocação de dentes perdidos) devolvendo ao paciente a funcionalidade da boca.

    A saúde oral e geral correlacionam-se diretamente. Esta interação dinâmica assim como as alterações fisiológicas inerentes ao processo de envelhecimento exigem dos profissionais da saúde a expansão de seus conhecimentos para uma visão global do idoso a fim de que sejam possíveis a elaboração e execução de um plano de tratamento integrado eficiente, abrangendo tanto as expectativas quanto as necessidades do paciente odontogeriátrico. A complexidade do indivíduo idoso seja pela maior susceptibilidade às patologias sistêmicas e locais, o uso de polifármacos, a debilidade inerente entre outras características denotam a importância da abordagem sistemática e detalhada acerca do plano de tratamento para esses pacientes.

    Os cuidados com a saúde oral do idoso garante maior eficiência mastigatória e a possibilidade de ingerir uma dieta mais adequada à saúde geral, e um melhor enfrentamento das doenças mais comuns na terceira idade.

    Os idosos estão mais sujeitos a doenças: boca mal cuidada e diabetes altas/descontroladas estão claramente comprovadas. A doença gengival/periodontal permite que bactérias da boca podem levar a bacteremias com consequências importantes ao idoso. Uma doença muito pouco comentada é pneumonia, onde a cada tossida do paciente, bactérias pulmonares perigosíssimas vão para a boca e se instalam na porção posterior da língua e se multiplicam reinfeccionando o paciente quando são engolidas. Artrites e reumatismo debilitam o paciente e dificultam, muitas vezes, a obtenção de uma excelente higienização bucal tão importante nesta fase da vida.

    Diversas são as mudanças que ocorrem com o envelhecimento em todo o organismo. Na boca podemos notar que: As mucosas ficam mais sensíveis e finas, a coloração dos dentes podem mudar, pode ocorrer a diminuição da quantidade de saliva, geralmente devido à efeitos colaterais de medicamentos causando a secura na boca, conhecida como Xerostomia e diminuição na percepção dos sabores o que pode levar ao alto consumo de sal e açúcares na alimentação e agravar problemas como diabetes e pressão alta.

    Portanto, é fundamental fazer um acompanhamento preventivo e terapêutico afim de devolve aos pacientes idosos qualidade de vida e bem estar. Devemos lembrar que saúde é vigilância constante.

    Dr. Luciano Burrini

  • A Toxina Botulínica (Botox) na Odontologia Open or Close
    toxinaBotulinica

    A Toxina Botulínica (Botox) na Odontologia

    Em relação ao que é a toxina botulínica – ou “proteína botulínica” –, bastante conhecida pela sua aplicação nos tratamentos médicos estéticos para a atenuação de rugas dinâmicas da face, trata-se de uma neurotoxina de origem bacteriana de alta especificidade, cuja administração é extremamente segura, se respeitados as suas indicações e protocolos.

    E, em sendo uma “neurotoxina”, ela age diretamente no sistema nervoso, determinando a ocorrência de paralisias ou contraturas musculares no nosso corpo, descobrindo-se, a partir destes efeitos, as suas possibilidades terapêuticas em relação a algumas patologias, desde que utilizada em quantidades corretas.

    Na Odontologia, a toxina botulínica foi devidamente regulamentada para uso pela Resolução 112/11 do Conselho Federal de Odontologia – CFO – desde setembro de 2011.

    Justamente pela sua atuação na diminuição da tensão muscular, ela pode ser utilizada para diversas finalidades na área, como é o caso do controle do bruxismo, uma situação que se caracteriza pelo apertamento ou ranger de dentes durante o sono e/ou em vigília.

    A explicação é simples: quando injetada num dos músculos da face, a tensão diminui, de maneira que não há força o suficiente para provocar o atrito entre os dentes, causando o desgaste ou a fadiga dos músculos da mastigação, uma das situações responsáveis pelas dores orofaciais. A excelente vantagem em relação ao tratamento tradicional é que, diferentemente das placas noturnas, que podem gerar desconforto ao descanso do paciente, a toxina não causa incômodo. Além disso, a substância também pode ser aplicada no controle das próprias dores de cabeça secundárias ao bruxismo.

    Os benefícios da toxina botulínica na Odontologia se estendem, ainda, ao tratamento corretivo das assimetrias de face (ligadas à hipertrofia dos músculos da mastigação), da exposição gengival acentuada (quando o indivíduo sorri, a sua gengiva é exposta excessivamente), do sorriso assimétrico, do controle de alguns tipos de sialorreias (salivação em excesso) e das dores orofaciais ligadas à disfunção da articulação temporomandibular (DTM muscular, caracterizada pela fadiga dos músculos da mastigação), assim como também pode ser empregada nos tratamentos preventivos, como em casos de implantes de carga imediata e reabilitações estéticas, entre outras possibilidades.

    Entre as suas vantagens mais significativas, trata-se de uma intervenção cujos resultados se verificam rapidamente e de uma solução que apresenta pouquíssimos – e passageiros – efeitos colaterais, de forma que a sua utilização é bastante segura.

    Obviamente que a aplicação da toxina botulínica na Odontologia é ainda mais segura quando nos referimos à atuação de um cirurgião-dentista devidamente habilitado para administrá-la, com reconhecida experiência para isso.

  • Bruxismo Open or Close

    O ranger dos dentes, principalmente durante o sono, é frequente em adultos e crianças e tem graves consequências.

    Na função normal os dentes não entram em contato uns com os outros durante a mastigação, porque os alimentos se interpõem entre eles. Este contato só vai acontecer durante o ato de engolir, mas sem forças excessivas. Já no bruxismo além de haver contatos direto entre as superficies dentais, há contração dos músculos da mastigação, muitas vezes bem maior do que as estruturas relacionadas podem suportar. Fatores como estresse, tensão e ansiedade são apontados como as principais causas.

    Perceber a existencia dessa disfunção e a hora certa de procurar tratamento não é simples. Principalmente porque, na maioria dos casos, as pessoas estão dormindo (Bruxismo do Sono) ou porque não notam um apertamento constante e discreto dos dentes quando estão acordadas ( Bruxismo em Vigília).

    Principais Consequências

    • Piora da qualidade do sono: o bruxismo está relacionado a microdespertares, com duração de 3 a 15 segundos.
    • Mobilidade, sensibilidade e dor nos dentes
    • Dores musculares (face, cabeça, pescoço e ombros), hipertrofia no músculo Masséter.
    • Trinca e fraturas nos dentes, restauraçãoes e trabalhos protéticos.
    • Alterações nas articulações têmporo- mandibular ( dor, ruídos, travamentos, deformações)
    • Perda óssea

    Como Perceber

    • Dor de cabeça constante
    • Dor forte no músculo da face logo ao acordar
    • Dor e zumbido no ouvido
    • Estalos ao abrir e fechar a boca
    • Relatos de familiares sobre ruídos ao dormir

    Tratamento

    • Uso de placas
    • Uso de remédios controlados para ansiedade
    • Atividades físicas e outras de relaxamento corporal, para reduzir o estresse
    • Uso de Botox ( para paralisar a musculatura do maxilar). Porém requer reaplicações constantes e não é o mais indicado. É alternativa se o paciente responde mal ao tratamento.

    Crianças também podem sofrer dessa disfunção. É na faixa etária entre os 5 e 8 anos que o bruxismo do sono alcança os indices mais altos na infância. Essa incidência costuma estar associada à erupção dos dentes incisivos centrais superiores.

    Também outros fatores devem ser considerados, especialmente relacionados à ansiedade. Crianças com bruxismo apresentam até 16 vezes mais chances de serem ansiosas. Neste tipo de situação a prática de esportes é indicada como boa alternativa.

  • Apnéia do Sono Open or Close

    O que é apnéia do sono?

    Apnéia significa "parada da respiração". Apnéia do sono é o distúrbio no qual o indivíduo sofre breves e repetidas interrupções da respiração (apnéias) enquanto dorme. As apnéias são causadas por obstruções transitórias da passagem do ar pela garganta de pelo menos 10 segundos de duração. Quando ocorrem apnéias com frequência maior que 5x/hora no sono dizemos que o indivíduo é portador de apnéia do sono.

    O que provoca a apnéia do sono?

    • ⦁ Aumento do peso (causa mais comum nos adultos): o excesso de tecido mole na garganta dificulta mantê-la aberta.
    • ⦁ Os músculos da garganta e língua relaxam mais do que o normal: isso tende a agravar-se com a idade.
    • ⦁ Alterações do formato da cabeça e pescoço pode resultar em menor espaço para passagem de ar na boca e garganta.
    • ⦁ Amígdalas e adenóides grandes são causa comum de apnéia do sono na criança.

    Quais as consequências da apnéia do sono?

    Cada vez que ocorre uma apnéia ocorre uma diminuição rápida da oxigenação sanguínea. A fim de evitar a morte por asfixia, o organismo envia um “sinal” ao cérebro despertando-o por tempo suficiente para conseguir desobstruir a garganta. Ou seja, ocorre um microdespertar que o indivíduo não percebe e nem lembra no dia seguinte. Esse fenômeno pode repetir-se até 1000 vezes em cada noite de sono nos casos mais graves.

    Após cada microdespertar ocorre a queda da oxigenação sanguínea, podendo desencadear arritmias cardíacas, infarto do miocárdio e acidentes vasculares cerebrais (AVC) durante o sono. Além disso, a apnéia do sono não tratada, a longo prazo, ocasiona ou agrava várias doenças como diabetes, obesidade, hipertensão, insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio, arritmias cardíacas, AVCs, entre outras.

    Devido ao grande número de microdespertares pelas apnéias repetidas, o sono torna-se fragmentado ocorrendo diminuição do sono profundo e do sono REM nos indivíduos com apnéia do sono. O sono profundo é fundamental para a recuperação do corpo, enquanto que a fase REM (Rapid Eye Movement - fase onde ocorrem os sonhos) é importante para a consolidação do aprendizado e da memória. Assim, a apnéia do sono é uma das causas mais comuns de fadiga, sonolência e dificuldades de aprendizado e memória, entre outros sintomas.

    Quais os sintomas da Apnéia do Sono?

    • Ronco alto e interrompido
    • Sono agitado
    • Engasgos noturnos
    • Sonolência excessiva durante o dia
    • Despertares frequentes
    • Levantar-se para urinar à noite
    • Pesadelos
    • Sono não reparador
    • Fadiga crônica
    • Dor de cabeça pela manhã
    • Irritabilidade
    • Apatia, Depressão
    • Dificuldade de concentração
    • Perda de memória
    • Impotência sexual

    Como diagnosticar? Qual o tratamento da apnéia do sono?

    O diagnóstico da apnéia do sono é feito através de um exame chamado polissonografia. O paciente deve dormir com sensores fixados que permitem o registro da passagem do ar pelo nariz/boca, oxigenação sanguínea, frequência cardíaca, movimentos do tórax, posição do corpo na cama, além de outros dados.

    Medidas simples como: dormir de lado, perder peso, evitar uso de álcool ou tranquilizantes, diminuição do stress, hábitos saudáveis entre outras. O uso de dispositivos orais confeccionado por dentistas que avançam a mandíbula durante o sono (placa oral) pode ser indicado em alguns casos.

    O tratamento mais eficaz e mais utilizado para os casos moderados ou graves consiste no uso do aparelho chamado CPAP (do inglês, Continuous Positive Airway Pressure). O CPAP previne a obstrução da garganta durante o sono e reestabelece o sono normal ao indivíduo. Apesar de parecer algo muito desconfortável à primeira vista, o aparelho costuma ser bem tolerado pelos pacientes após a primeira semana de uso.

    O indivíduo que apresenta as doenças e/ou os sintomas descritos anteriormente deve buscar ajuda profissional. Este poderá encaminhá-lo ao exame de polissonografia para confirmar ou descartar a suspeita de apnéia do sono, além de classificar a gravidade da doença. Saúde é prevenção constante.

    apneia2

     

  • Ronco Open or Close

    Quais as causas do Ronco?

    O Ronco ocorre devido a obstrução parcial das vias respiratórias superiores à passagem de ar durante o sono. Ao dormir ocorre uma diminuição do tônus muscular da faringe ocorrendo estreitamento dessa região. Vários fatores podem dificultar ainda mais essa passagem do ar contribuindo com o surgimento do ronco:

    • Obesidade: este é o mais frequente fator de risco envolvido. O aumento do tecido adiposo no pescoço reduz o calibre da via aérea predispondo a obstrução durante o sono.
    • Idade: com o envelhecimento ocorre diminuição progressiva do tônus e elasticidade dos tecidos da garganta favorecendo a obstrução das vias aéreas.
    • Obstrução nasal devida, a aumento do volume de secreções e produção de muco, a desvio de septo nasal, rinites, sinusites, pólipos nasais; à hiperplasia das amígdalas e adenoides.
    • Retrognatismo, hipoplasia de mandíbula e maxila, macroglossia (aumento da língua), e outras alterações nos ossos da face entre outros.

    O Ronco traz prejuízos à saúde?

    O ronco pode ser o sinal de uma doença que tem graves consequências ao organismo - a Síndrome de Apnéia do Sono. Apnéia quer dizer parada respiratória, e o termo Apnéia do Sono se refere à um transtorno no qual o indivíduo apresenta sucessivas paradas respiratórias de curta duração (geralmente entre 10 e 60 segundos) durante o sono.

    Esta síndrome pode trazer graves consequências ao coração e vasos sanguíneos aumentando a incidência de infarto do miocárdio, AVC ("derrame"), hipertensão arterial, arritmias e insuficiência cardíaca.

    Além disso traz prejuízos à qualidade do sono levando à sintomas de sonolência diurna, déficit de memória e aprendizado, impotência sexual, cefaléia, acidentes de trânsito e de trabalho, entre muitos outros.

    E o Ronco sem Apnéia do Sono traz consequências à saúde?

    O ronco pode trazer a insônia do cônjuge e sérios problemas de relacionamento. Mas não é só isso! Novas pesquisas têm demonstrado que o ronco alto pode levar a maior formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos do pescoço aumentando a chance de ocorrer isquemias cerebrais. Outros estudos mostraram risco aumentado do desenvolvimento de diabetes, mesmo sem a presença de apnéia do sono.

    Quando procurar auxílio médico?

    O Ronco leve (ressonar) e eventual como em determinadas situações (apenas após uso de bebidas alcoólicas ou tranquilizantes, por exemplo) não deve ser considerado um problema médico. Entretanto indivíduos que apresentam ronco alto e/ou frequente devem procurar a avaliação de um médico especialista em medicina do sono para avaliar a presença de Apnéia do Sono associada (principalmente se possuírem mais de 40 anos de idade ou outras doenças como obesidade, hipertensão, diabetes, doenca coronariana, etc).

     

  • Odontologia para Adultos: Uma abordagem Direcionada e Interdisciplinar Open or Close

    Odontologia para Adultos: Uma abordagem Direcionada e Interdisciplinar

    O sorriso é considerado na estética facial como padrão de beleza quando temos harmonia entre os dentes, saúde oral plena e a proporcionalidade entre os terços faciais. Por esse motivo cresce o número de pacientes adultos pela odontologia estética , em busca de harmonia entre os dentes, face e o restabelecimento do sistema mastigatório.

    Para atingirmos os objetivos desejados é necessário uma abordagem direcionada e interdisciplinar nas diversas áreas da odontologia como: ortodontia, periodontia, implantodontia e finalmente a reabilitação oral estética. Diversos motivos contribuem para justificar esse crescimento, dentre eles o desenvolvimento de novas técnicas ortodônticas e a modernização dos aparelhos , técnicas cirúrgicas menos invasivas com abordagem mais minimalista, avanços significativos na reabilitação oral bem como a conscientização da sociedade quanto às vantagens estéticas e funcionais desse tratamento.

    Os objetivos do tratamento devem ser eliminar a queixa do paciente e estabelecer a oclusão fisiológica, portanto, deve ser restrito à área do problema limitando-se às regiões da boca com algum comprometimento estético e funcional e mantendo o equilíbrio das outras áreas que não necessitam de intervenção. Para atingir tais objetivos geralmente optamos pelo tratamento minimalista que incorre em menores danos aos dentes e estruturas de suporte, tempo de tratamento reduzido e maior estabilidade.

    A princípio é necessário que o paciente tenha saúde geral e oral adequados para a transformação do sorriso. Iniciamos com o tratamento ortodôntico para a correção dos defeitos ósseos; fechamentos de espaços; eliminação de apinhamentos muito comum no paciente adulto causado pelo envelhecimento, sendo áreas propícias à retenção de placa e difícil higienização e distribuição de forças mastigatórias, eliminando os traumas oclusais.

    Tudo isso pode ser solucionado pela ortodontia minimalista e individualizada. Em seguida é realizado os procedimentos cirúrgicos que englobam cirurgias periodontais; se necessário cirurgia na face para correção de defeitos esqueléticos e cirurgia para colocação dos implantes. Finalizado os procedimentos ortodônticos e cirúrgicos é realizado a reabilitação oral estética devolvendo ao paciente a auto estima e um sorriso pleno e funcional.

    Saúde é vigilância constante, portanto é indiscutível os benefícios proporcionados pelo tratamento interdisciplinar para a reabilitação oral do paciente adulto, uma vez que não há saúde plena sem saúde oral.

    Dr Luciano Burrini
  • Odontologia Preventiva: Saúde Oral desde a Infância Open or Close
    header criancas

    Odontologia Preventiva: Saúde Oral desde a Infância

    O principal motivo para a abordagem da saúde oral preventiva desde a infância está disponível àqueles predispostos a fazer prevenção, atrelado na busca pela saúde positiva, ou a saúde vista como algo mais que ausência da doença.

    Relatos mostram que pacientes enquadrados nesse processo de acompanhamento preventivo, que foram assistidos desde os primeiros anos de vida, encontraram-se livres de cáries. Assim a maior demanda da odontologia preventiva não será mais cárie, cedendo lugar às ações terapêuticas relacionadas aos problemas exibidos no desenvolvimento da dentição analisadas sempre junto ao padrão de crescimento facial do paciente, o que demanda um longo período de observação.

    A odontologia preventiva apresenta um protocolo de tratamento individualizado. O acompanhamento odontológico na infância é importante para que se estabeleça uma rotina de cuidados com a saúde oral da criança. A intenção desta abordagem é monitorar o crescimento e desenvolvimento da dentição, determinando o momento correto para intervenção, evitando assim tratamentos longos e o desgaste no relacionamento profissional/paciente.

    É importante que a criança esteja inserida em um programa de acompanhamento junto às equipes de Odontopediatria e Ortodontia, para que condutas terapêuticas possam antever possíveis complicações. O diagnóstico precoce permite realizar um manejo na época adequada, estabelecendo uma meta terapêutica preventiva, individualizada e planos de tratamento customizados. As visitas regulares ao dentista são fundamentais para a saúde da criança.

    Os pacientes mantidos nesse programa com possíveis orientações e ações justificadas, estarão livre de cáries e poderão ser submetidos a tratamentos de curta duração e baixa complexidade, sendo acompanhados para preservação dos resultados obtidos em um pós- tratamento.

    A odontologia vislumbra novos horizontes, em uma nova geração de pacientes sem cáries. Por isso os cuidados com a saúde oral desde a infância são fundamentais para estabelecer uma rotina de prevenção, sempre buscando acompanhar e monitorar o crescimento e desenvolvimento da face e dos dentes; esclarecer dúvidas com relação à alimentação, tipos de alimentos, manejos corretos com a higiene bucal, proporcionando assim saúde e bem estar à criança.

    Prevenção é promover mudanças nos hábitos de toda a família.
    Dr. Luciano Burrini
  • Ortodontia Contemporânea: O auxílio da cirurgia ortognática na busca da Harmonia Facial Open or Close
    ortodontia contemporanea

    Ortodontia Contemporânea: O auxílio da cirurgia ortognática na busca da Harmonia Facial

    Deformidades da face são tratadas com o auxílio da cirurgia ortognática. Essas intervenções cirúrgicas têm o poder de não só melhorar o funcionamento da oclusão, mastigação; fonação; digestão; deglutição e respiração como ainda refletir na estética facial e do sorriso . As deformidades da face estão ligadas ao excesso ou deficiência no crescimento do esqueleto facial.

    Estas deformidades podem ser causadas por síndromes e anomalias ( fatores teratogênicos, embriológicos, microssomia hemifacial, fissuras labiopalatais, craniosinostoses, entre outras); trauma facial; problemas musculares e hormonais ou por herança genética. Estima-se que o problema atinge entre 5% a 10% da população.

    O tratamento ortodôntico cirúrgico busca corrigir não somente a oclusão, mas especialmente, a desarmonia e a desagradabilidade facial. Por este motivo, o diagnóstico deverá priorizar a face, identificando a localização e gravidade do problema, de acordo com o gênero, idade, etnia e, o mais importante, dando ênfase a queixa principal do paciente. 

    cirurgia ortognatica

    Na ortodontia contemporânea a característica da filosofia de atendimento atual pode ser uma atenção mais individualizada e reabilitadora, ou seja, em função das novas tecnologias e do detalhamento das informações, o diagnóstico, prognóstico e metas terapêuticas lançam mão destes meios para atingir o resultado mais natural e harmônico da face. O conceito de individualização no diagnóstico e nos tratamentos é um elemento essencial da filosofia, amplamente aceita, de cuidados minimamente invasivos na busca em fazer o mínimo para atingir o máximo de resultados.

    Segundo Daniel Meyers, ortodontista americano e Leopoldino Capelozza estão revolucionando o processo de diagnóstico e planejamento em um novo conceito que se trata de um Sistema Integrado de Ortodontia Minimamente Invasiva ( WSMIO- Whole System Minimally Invasive Orthodontics), que consiste em uma avaliação de risco e uma série de procedimentos individualizados para uma eficácia maior no tratamento ortodôntico associado à cirurgia ortognática.

    antesEdepois

    Portanto, o diagnóstico correto quanto a construção da má oclusão é de grande importância e deve ser feito por meio da Análise Facial possibilitando determinar a meta terapêutica adequada e permitindo ao profissional atuar na essência do problema, evitando resultados estéticos desagradáveis.

    O tratamento ortodôntico acompanhado de cirurgia ortognática tem como objetivo promover a relação equilibrada, reabilitadora e harmoniosa dos componentes dento esqueléticos. O planejamento da estética facial e do sorriso é tanto uma ciência como uma arte, justificando a interdisciplinaridade do tratamento, desde que bem diagnosticada, planejada e conduzida pode auxiliar na obtenção de melhores resultados do ponto de vista estético, oclusal e funcional.

    Dr. Luciano Burrini

     

  • Clareamento Dental Open or Close
    clareamento

    Clareamento Dental

    Cada vez mais as pessoas buscam um sorriso repleto de beleza, que inspira segurança e aumenta a autoestima. O clareamento dental é uma maneira conservadora, segura e eficaz de conquistar um sorriso ainda mais bonito. Converse com seu dentista para saber mais sobre clareamento dental.

    Porque os dentes escurecem?

    O dente poderá escurecer devido a fatores externos ou internos. Entre os externos está o consumo contínuo de alimentos ricos em corantes (ex:. Chás, cafés, molhos, etc...), consumo do cigarro alterando a cor ao longo do tempo. Já os fatores internos podem ser fisiológicos ou não, como alterações da estrutura dos dentes; uso de alguns medicamentos ou substâncias que afetam a formação do dente.

    O paciente deve passar por uma avaliação antes de iniciar o tratamento. Além disso, o acompanhamento profissional é importante para maximizar os resultados e o conforto durante o clareamento.

    O dente clareado fica enfraquecido?

    Não, o dente não enfraquece. O que poderá ocorrer é uma perda mineral que será revertida pela ação da saliva.

    Como funciona o clareamento dental?

    Os peróxidos de carbamida e hidrogênio penetram no dente e reagem com os pigmentos responsáveis pelo escurecimento, quebrando-os em moléculas menores que interagem com a luz de maneira diferente, resultando em dentes mais claros.

    CLAREAMENTO CASEIRO  CONSULTÓRIO ASSOCIADA
     COMO É?  Sob a orientação do seu dentista, o paciente realiza o clareamento dental em casa com moldeiras  O dentista realiza o clareamento dental em seu consultório  Clareamento em consultório associado à técnica caseira
     QUANTO TEMPO LEVA?  Em média, de 3 a 4 semanas com o uso diário do gel durante 30min a 4h, conforme indicação  Até 3 sessões clínicas de aproximadamente 45 a 60 minutos cada  Em média 2 semanas de tratamento

    Qualquer pessoa pode realizar um clareamento dental?

    Todos os indivíduos que desejam clarear seus dentes podem procurar pelo clareamento. Existem algumas contraindicações relativas que consistem em problemas bucais localizados que são facilmente reconhecidos e tratados pelo dentista.

    O clareamento dental pode causar sensibilidade?

    A incidência de sensibilidade depende muito de cada paciente. Quando existente, é facilmente solicionada com produtos específicos e caso seja necessário, o dentista pode utilizar o Desensibilizante K2 2% ou KF 0,2%.

    Dicas para você que já está fazendo clareamento dental:

    • Não lave a moldeira com água fervendo. Para higienização apenas utilize água corrente, seque adequadamente e guarde-a no porta-moldeiras.
    • O gel clareador vem com uma ponteira para melhor aplicação na moldeira. Certifique-se de que esta ponteira esteja bem acoplada à seringa antes de utilizá-la.
    • A quantidade de gel a ser aplicada em cada espaço dental na moldeira deve ser instruída pelo seu dentista.
    • Ao colocar a moldeira em posição, certifique-se de que nenhuma área esteja cortante ou irritando a gengiva. Caso haja, informe seu dentista.
    • Respeite os períodos de tempo de uso do gel conforme recomendado pelo seu dentista.
    • Durante o tratamento, evite alimentos fortemente corados como café, vinho tinto, refrigerantes, sucos artificiais, molhos, etc. Caso consuma estes alimentos, enxague abundantemente a boca ou escove os dentes logo após.
    • Caso haja hipersensibilidade dental comunique seu dentista, ele poderá utilizar materiais e técnicas para maximizar o conforto.
    • Respeite as reconsultas programadas pelo seu dentista, o acompanhamento profissional é a chave para sua segurança e satisfação.

     

  • Alinhadores Invisíveis: Uma alternativa ao aparelho ortodôntico convencional Open or Close
    alinhadoresInvisiveis

    Alinhadores Invisíveis: Uma alternativa ao aparelho ortodôntico convencional

    A procura dos pacientes adultos por tratamento ortodôntico tem aumentado significativamente. E a ortodontia tem evoluído em consequência a esta procura, principalmente no sentido de oferecer aparelhos que corrijam a má oclusão sem comprometer a estética do sorriso durante o tratamento. O aparelho metálico é o mais comumente utilizado pelos ortodontistas, com a obtenção de resultados favoráveis, embora sejam considerados antiestéticos e causam incômodo. Por esse motivo, muitos pacientes (principalmente os adultos) não se animam com o tratamento ortodôntico ou desistem do tratamento após curtos períodos.

    Nesse cenário, surgiram os alinhadores invisíveis (similares às placas de clareamento), que utilizam métodos sofisticados para produzir os alinhadores individualizados, capazes de corrigir algumas más oclusões. Os casos mais comuns para utilização desses alinhadores são: Recidiva e instabilidade pós-tratamento ortodôntico convencional; tratamento de apinhamento terciário ou tardio e pequenos movimentos dentários.

    O tempo de tratamento varia proporcionalmente à gravidade do problema. O tempo mínimo tem sido cinco meses a um período de até 18 meses que é o mais indicado. A efetividade deste tratamento está diretamente ligada ao comprometimento do paciente. Por serem placas individualizadas e removíveis, o tratamento depende muito da disciplina do paciente, pois os alinhadores somente podem ser removidos para alimentação e higiene. A movimentação dos dentes é obtida por meio da troca periódica dos alinhadores realizada sob supervisão do ortodontista a cada duas semanas.

    Vários procedimentos clínicos foram incorporados na prática da ortodontia, e os alinhadores invisíveis foram introduzidos à rotina clínica. Aos profissionais cabe buscar pelos melhores resultados, sempre pautados no diagnóstico, planejamento e metas terapêuticas individualizadas trazendo benefícios e a satisfação aos pacientes.

  • DTM e Dor Orofacial (ATM) Open or Close
    dtm

    DTM e Dor Orofacial (ATM)

    Dores e sons nas articulações, dores na região temporal da cabeça, dificuldades e ou dores durante a mastigação são comuns, e tem tratamento. Em alguns casos, ela é passageira e facilmente combatida com o auxílio de analgésicos, porém a situação começa a ser preocupante quando a dor e os sons articulares passam a serem constantes.

    Desequilíbrios ou desarmonias nos sistemas dental, muscular, articular, ligamentar, vascular, nervoso e/ou articular da coluna vertebral podem ocasionar uma Disfunção Temporomandibular (DTM), conhecida como Desordens Crânio Mandibular (DCM), ou popularmente por disfunção das ATMs (Articulação Temporomandibulares), entretanto esta ultima apenas representa um dos quadros de muitos das DTMs.

    Sintomas mais comuns

    • Cansaço muscular;
    • Dores musculares na região de cabeça e pescoço;
    • Rangimento dental (bruxismo);
    • Apertamento dental (briquismo) ;
    • Desgastes nos dentes;
    • Estalos nas ATMs (articulações que estão próximas a orelha);
    • Crepitação nas ATMs (sensação de areia);
    • Dificuldade de abrir ou fechar a boca;
    • Zumbidos no ouvido, entre outros;

    Devido ao caráter multifatorial desta patologia o tratamento é multidisciplinar, ou seja, desenvolvido com a participação de uma equipe de profissionais devidamente habilitados em áreas especializadas da saúde, como: odontólogos, especialistas em DTM, médicos, fisioterapeutas, Fonoaudiólogos e Psicólogos, em um trabalho conjunto e em sequência de atuação pré-determinada e definida pela patologia.

    Noções gerais das mialgias faciais e disfunções das ATM's

    Problemas com os músculos mastigadores e posturais da cabeça e pescoço, ou nas articulações temporomandibulares (ATMs) dão origem a Disfunção Temporomandibular (DTM) e às dores orofaciais.

    A manifestação dos sinais (sons) e sintomas (dores) facilitam o diagnóstico e o tratamento. Sua ausência pode retardar e prejudicar estes processos, representando quadros degenerativos importantes na ATMs. Quanto mais sons forem desenvolvidos pela ATM, maior pode ser o dano causado. Portanto, é preciso buscar ajuda o mais rápido possível. Além da intervenção de diversos profissionais das áreas médica e odontológica, o sucesso do tratamento depende da intensa compreensão e colaboração do paciente.

    As mialgias faciais

    As mialgias faciais são resultado de uma relação maxilo-mandibular inadequada que sobrecarrega os músculos da face, causando inflamações e dores nestas regiões musculares. Diversos motivos podem desencadear este problema, alguns deles são:

    • Má oclusão dentária, que provoca desvio mandibular em relação à linha média;
    • Projeção mandibular, devido à perda ou alteração das guias dentárias anteriores;
    • Retropulsão mandibular, devido à perda da dimensão vertical de oclusão;
    • Contatos dentários prematuros em movimentos da mastigação.
    • Instabilidade maxilo-mandibular no ato da deglutição;
    • Mau correlacionamento entre os elementos constituintes das ATMs;
    • Entre muitos outros fatores (biomecânicos);

    As disfunções de ATMs

    Das diversas causas a mais comum é quando há um funcionamento inadequado das articulações temporomandibulares (ATMs). O tratamento varia do clinico ao cirúrgico em diferentes graus de complexidade. Estas disfunções em geral são acompanhadas de dores e sons na articulação afetada e, em alguns casos, ocorre também inflamação muscular reflexa, caracterizando também um quadro de mialgia facial.

    É fundamental a compreensão anatômica das disfunções das ATMs, a fim de explicar ao paciente sua função, sinais e sintomas. Uma avaliação médica odontológica, quando confirma o diagnóstico da ATM, é capaz de esclarecer os sinais e os sintomas, identificando o estágio de evolução e o tipo de tratamento indicado para esta disfunção articular. Simples orientações profissionais quanto à postura, seleção da alimentação, hábitos, pode ajudar os pacientes a conviver melhor com seu quadro clínico durante o tratamento das ATMs.

    O tratamento das disfunções das ATMs é demorado e multiprofissional, tornando-se mais efetivo através da interação e colaboração entre os profissionais especializados e o paciente.